Informativo – Edição 117

CAMPANHA OBRA MAIS SEGURA

No dia 22/06 o SINDICIG iniciou a Campanha Obra Mais Segura voltada a orientação dos trabalhadores da construção civil sobre as formas de contágio e prevenção ao COVID-19.

Nas visitas aos canteiros de obras, o foco está nas orientações sobre sintomas da doença, higiene pessoal no ambiente de trabalho e doméstico, a importância do distanciamento social ou isolamento, prevenção aos riscos invisíveis, mecanismos de proteção e a importância da observação e prática das medidas de segurança e decretos.

Além dos temas abordados, os trabalhadores recebem panfletos orientativos e podem esclarecer dúvidas. Em apenas sete dias, cerca de 250 trabalhadores já foram alcançados, a meta é atingir todas as empresas associadas e as não associadas que desejarem aderir.

A campanha está disponível para todo o setor da construção civil no município de Guarapari e não tem custo algum para a empresa.

A iniciativa tem a participação da Secretaria Municipal de Saúde de Guarapari e a LF Engenharia.

Informação de qualidade produz segurança: #todoscontracovid19


TALK IMÓVEIS

A Rede Gazeta lançou o projeto Talk Imóveis com a proposta de criar uma série de conteúdos para clientes do mercado imobiliário, com objetivo de levar para a sociedade informações relevantes.

A live de lançamento abordou o tema: Quais as perspectivas e oportunidades do mercado imobiliário? E ontem (02) o assunto debatido foi: Como comprar o primeiro imóvel?

Confira a programação dos próximos eventos:

  • 09/07, às 16h: Consórcio ou financiamento: qual a melhor opção?
  • 16/07, às 16h: Como sair do aluguel sem pagar muito?
  • 23/07, às 16h : Como será o imóvel ideal após a pandemia?

Acompanhe: agazeta.com.br/imoveis

Fonte: Site A Gazeta


COVID-19: FISCALIZAÇÃO DO TRABALHO E AS MEDIDAS DE SEGURANÇA

A auditoria fiscal do trabalho tem como papel a verificação do cumprimento das normas de proteção do trabalho, sendo que, no atual momento, está se buscando valorizar as questões relacionadas à pandemia, e os possíveis danos que a doença pode gerar para a classe trabalhadora que se encontra em atividade, sendo que a força de trabalho fiscal foi redirecionada, principalmente, para a prevenção da COVID-19, fiscalizando as empresas que mantiveram suas atividades.

No cenário atual, existe o risco de o ambiente de trabalho das empresas ser considerado insalubre, caso sejam negligenciados os riscos de contágio com a não adoção de medidas preventivas. Caberá ao empregador demonstrar os cuidados que adotou para preservar a saúde de seus trabalhadores, como identificação de riscos, histórico ocupacional, trabalho em home office, escalas de trabalho, rodízio de profissionais, orientação e fiscalização sobre adoção de medidas relacionadas à saúde e segurança, sobretudo higienização, entrega de equipamentos de proteção individual (EPI’s), dentre outros.

Caso haja contaminação do trabalhador, por ser difícil estabelecer o nexo causal, em relação ao local de contaminação, se ocorreu na própria residência, no trabalho ou no trajeto, mas havendo um índice elevado de afastamentos, é grande a possibilidade da contaminação estar ocorrendo no ambiente de trabalho. Daí a importância de as empresas promoverem uma avaliação, de forma ágil, em relação aos cuidados que estão sendo tomados em relação à prevenção da doença, pois possivelmente alguns não estão sendo observados ou não têm sido suficientes.

Conheça os serviços do SINDICIG para ajudar a manter sua empresa segura.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on print
imprimir
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on print

O que achou deste artigo?

Leia também